iinsana #10 | Sobre a dificuldade de um "não"

Hey dear's!!!

Sim, eu andei sumida!! O blog andou fechado?! Sim!! Não teve mais vídeo, por conta de falta de "aparelhagem"?! Sim!! Porque por falta de assunto não foi (minha cabeça anda fervilhando)!!!


Mas bueno, isso dá cancha pra eu voltar metendo o pé no peito, mais ácida, mais do jeito "iinsana" que o povo tanto cobrou que eu não estava sendo, então vambora que não temos tempo a perder.

Sou gaúcha (caso você seja novo por aqui - gaúcha do Rio Grande do Sul, não de Santa Catarina, apesar de amar o estado) mas adotei São Paulo como minha cidade e ando me divertindo por aqui como se não houvesse amanhã, só que aqui o povo tem um pequeno problema: a dificuldade em ouvir não!!!

Comecemos com os boy´s nas festas (porque a gente vai começar pelo mais crítico e assustador), eu fico impressionada como aqui o povo não sabe levar um corte gente, o cara já se dói, já diz que você é mal educada e coisa e tal.

Alto lá companheiro!!! Vamos retomar aqui, eu estava quieta na minha, curtindo minha bebida, meu som, minhas amigas, você chega (em 90% das vezes totalmente sem noção), já achando que é meu íntimo, me pegando sem um mínimo de educação e eu tenho que o que?!!! E olha, que quem me conhece sabe, sou educada, dou atenção e dispenso com um mínimo de educação porque sei da dificuldade que é um cara chegar em uma mulher na balada, mas aqui em São Paulo, parece que o "não" é meio difícil de ser ouvido.

Queridos de SP, vocês precisam aprender a levar um fora - sim com educação - e não agir com agressividade, como tem acontecido. Não sou obrigada a seguir num papo que não quero, com ninguém, será que custa entender isso?!!!

Dando sequência à dificuldade de ouvir não, parceria aqui também não sabe ouvir não. Se eu não vou na balada, se eu não posso ir neste ou naquele lugar (por esta ou aquela razão), gente o povo toma como pessoal e intransferível. Quééééé isso peoples!!!! Deixa eu explicar uma coisa "broderagem", posso ser sua amiga e ter outras prioridades (eu vou continuar sendo sua amiga, e eu espero que você idem), e numa boa amizade que só serve quando eu estou com você no lugar "a" ou "b" também não me serve e (eu) não fico mendigando não!!!!

Resumindo, quem faz as minhas escolhas sou "eu" (e ninguém mais). Se você está no meu círculo de amigos ou 
estamos de "cunverse" na balada, acredite foi uma escolha e eu valorizo, do contrário eu tenho personalidade o suficiente para dizer não e bancar!!!  Agora, se você não tem maturidade para ouvir não, é mal educado, ou fica de chantagem, meu bem a vida uma hora vai lhe cobrar, vai lhe mostrar algumas coisas e ai vai ser um pouco mais difícil, então comece com as coisas simples e aproveite de pessoas educadas como eu, que ainda tem "tato" pra não te dar uma resposta atravessada e te mandar tomar no cu (porque tem horas que a vontade que tenho é de fazer isso com algumas pessoas).

Sigamos aprendendo a entender uns aos outros, e principalmente a nos respeitarmos, porque ninguém é obrigado a porra nenhuma. Se você ouviu um não na balada (com educação é claro - você também não é obrigado a aturar ninguém com grosseria pro seu lado) saia a francesa!!! Se seu amigo não tá podendo, entenda e reveja como você pode aproveitar a amizade. Se o seu trabalho tá difícil, veja como lidar. Sempre tem um jeito, só aprenda a ouvir não. Se eu aprendi, você também aprende!!!






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Te expressa aí ...